"As piras de Angel..."

Dedico este blog ao Amor e às incógnitas da vida, responsáveis pelos mais belos insights. Caminhando rumo à evolução do corpo, da mente e da alma, eternamente...

"Espíritos fortalecidos de paz deixavam de chorar, neste tempo, grandes energias passeavam aos corações. Fomos lançados ao infinito..."

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Viver a vida...

Por instantes eu entrei na imagem principal do meu próprio blog...
Acho que facilitou pelo fato da foto ser grande, e de repente eu estava correndo em direção às montanhas ao fundo...era muito real.
É bom sentir a areia nos pés...
No ar há uma brisa fresca que toca o rosto de forma suave...
Olhando pra cima me deparei com uma imagem de estrelas, uma claridade que parecia me iluminar por dentro, era tão alto, e pude sentir
o infinito concretizado, era lindo, uma paz tomou conta de mim, e...
A vida é enorme, existem infinitas coisas a se fazer, a se sentir, a se viver!
A partir daí penso...
Que a vida é recheada de possibilidades todos nós sabemos, mas poucos a vivem em sua totalidade, eu disse TOTALIDADE.
Viver!



Pense o quanto a mais não viveríamos se estivermos presentes em todas as festas que formos convidados...
Se viajarmos mais vezes, a mais lugares...
Se experimentarmos várias opções de emprego, até mesmo em outra área...
Se ajudarmos as pessoas que precisam de ajuda, da forma que seja...várias vezes...
Se experimentarmos vários tipos de shampoos, de roupas, lingeries diferentes, mudar o visual várias vezes conforme o que somos...
Fazer leituras diferentes...ler tanto livros de assuntos que gostamos como de assuntos que não nos interessam...eles podem vir a nos interessar depois...
Conhecer mais a fundo cada pessoa que passa pelo nosso caminho...amizades, amores...podemos aprender muito com elas...
Ou pode existir algo especial ali...ou não...só tem um jeito de saber...
Fazer caminhos diferentes para ir ao trabalho ou à academia...pode ter algo legal naquela outra rua que vc não saiba...ou talvez não...
Experimentar atividades diferentes, só assim saberemos do que mais gostamos...
Sair para comer em lugares diferentes...comidas que nunca experimentamos...
Ficar na tranqüilidade de casa fazendo cada dia algo diferente...
Um dia acender velas pra relaxar no banho ou antes de dormir, no outro regar as plantinhas...

Fazer coisas repetidas que gostamos é ótimo tb! E muito válido se valer a pena!
Experimentarmos coisas diferentes sempre não nos impede de experimentarmos sempre a mesma coisa!
Se é bom repetir, pq não?
E se pode existir algo novo tb, pq não?
As duas opções podem ser vividas juntas!

Me sinto como uma bateria que acabou de ser recarregada, é muita coisa pra se viver, pra se sentir, é muita energia!
E agora voltando a olhar para aquelas estrelas em cima de mim, sinto que POSSIBILIDADES EXISTEM PARA SEREM VIVIDAS, todas elas, podem ser boas ou ruins (as ruins tb fazem parte do caminho e é saudável que existam tb)...o fato de viver seria mais recheado pra todo mundo.

Engraçado que hoje mesmo enquanto eu dançava, no meio de um giro longo minha mente se perdeu nessas possibilidades...foi como se eu flutuasse...

Aqui é alto e mais situações posso ver...
Pronto.
Pulei do bung jump da vida...

2 comentários:

Patricia disse...

Verdade!
Quanto mais alto voamos, mais situações podemos ver...
Provar TUDO quanto se necessita conhecer. Experimentando... vivendo!
Todas as coisas são nossos mestres se soubermos ouvi-las... e o que conta não é o que se fala, mas o que se VIVE.
O sentido e a essência não se encontram em algum lugar atrás das coisas, senão em seu interior... no íntimo de todas elas.
Viver a vida... ai ai, ainda bem que vc tá nela.
Amo!

Edson Da Mota Leal disse...

Surprendente o seu texto, como sempre. Passa, filosoficamente, pela questão da escolha, das alternativas, das opções de coisas a serem experimentadas, das conquistas e das perdas... "quando escolhemos o caminho por uma 'rua' qualquer, não poderemos experimentar o que se nos apresentam nos outros caminhos que poderíamos percorrer..." Mas o mais interessante disso tudo, é que enquanto estivermos vivos podemos, de certa forma, ou reviver aquilo que escolhemos, ou voltarmos e fazer o caminho pela "rua" que descartamos..