"As piras de Angel..."

Dedico este blog ao Amor e às incógnitas da vida, responsáveis pelos mais belos insights. Caminhando rumo à evolução do corpo, da mente e da alma, eternamente...

"Espíritos fortalecidos de paz deixavam de chorar, neste tempo, grandes energias passeavam aos corações. Fomos lançados ao infinito..."

sábado, 22 de julho de 2017

Um bater de asas!

E em total sintonia com o último post aqui no blog...



Hoje me deparei com outra borboleta no chão, na minha frente exatamente no caminho que eu fazia dentro do clube. Ela estava na passagem das pessoas, poderia ser pisoteada.
Imediatamente coloquei o dedo nos seus pezinhos e então ela subiu na minha mão, sem voar, provavelmente ela estava machucada, assim como a que tirei da areia da praia.

Depois de tirar essa foto dela pra registrar o momento, sentei na mureta logo ao lado e tive uma sensação nova...de como se aquele momento fosse somente meu e dela, e de mais ninguém. (sim! tive uma sintonia com uma borboleta! rs)
Foi gostosa também a sensação dela abrindo e fechando as asas lentamente na minha mão... Ela caminhava pelos meus dedos, as vezes ficava paradinha ali, depois passava para a outra mão...até que eu consegui deixá-la junto com umas plantas em um local que ninguém passasse por cima dela. Parecia que ela não queria sair dos meus dedos.

O mais engraçado é que eu só encontrei com ela pois tive que voltar até o carro pegar algo que eu tinha esquecido.

Era só uma borboletinha linda, mas o sentimento que tive foi gostoso, foi bom e diferente.
E o maior bem que podemos ter nessa vida são nossas emoções e sentimentos.

Um brinde à todos eles!!
Gratidão

segunda-feira, 17 de julho de 2017

A borboleta e areias de sentimentos...

No último verão, certo dia eu caminhava pela areia da praia quando me deparei com uma borboleta no chão, logo na minha frente.


Era grande, preta com vermelho e estava ali parada pousada sobre a areia.
Parei e resolvi tirá-la dali, afinal alguém poderia pisoteá-la, apesar da praia não estar tão cheia.

Coloquei meu dedo indicador na frente das suas "patinhas", ela então imediatamente subiu no meu dedo e foi aí que tive a maior de todas as surpresas daquele momento...
Enquanto eu ainda subia com ela do chão, uma onda passou em alta velocidade sob meus pés (minha mão ainda estava a poucos centímetros do chão)...foi tudo tão rápido que eu nem pude ver a onda vindo, ela simplesmente me pegou de surpresa e teria levado a bela borboleta caso eu não a tivesse tirado dali naquele exato momento. Ela provavelmente estava machucada pois não voou depois, deixei ela na sombra junto com algumas plantas pois o sol de verão estava forte.


E então vem minha reflexão de hoje...

A fragilidade da vida e ao mesmo tempo sua força. E mais ainda, da SINCRONIA de certas coisas, como o estar na hora certa no lugar certo, ou na hora errada no lugar errado.
Era apenas uma borboletinha, mas poderia ser outra vida, poderia ser um outro acontecimento.

Um segundo...
Um pequenino descuido...
Ou uma singela atenção... ATITUDES que fazem toda a diferença nessa vida. Atitudes que vão concretizando infinitas possibilidades de destinos possíveis.
O poder da escolha, do livre arbítrio...e ao mesmo tempo, por outro lado, de forças desconhecidas indicando um caminho ou uma direção.
Há aqueles que acham bobagem esse tipo de coisa, mas me parece que quanto mais você acredita em algo, mais esse algo torna-se real e acontece pra você.

E agora como saber se estamos em um caminho bom pra gente? Talvez a resposta esteja em nosso espírito...em sentir amor e paz, de maneira sincera consigo mesmo...meditando, orando...conectando-se ao nosso "saber absoluto" e ao Cosmos.

Temos que estar sempre atentos aos sinais, mais ainda aos sentimentos...eles são como anjos que nos guiam por um bom caminho. E assim, nos colocamos em caminhos seguros, diferentes daquele que a borboleta na areia "escolheu" estar. Ou talvez ela devesse mesmo, por algum motivo, estar ali.

Ahh essa vida me fascina cada dia mais...

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Pessoas são como flores...

Minha mini-roseira florida...

Quem tem plantas e flores em casa e quer sempre vê-las saudáveis, entende o cuidado da Vida.

Fungos, pragas, falta ou excesso de luz, falta ou excesso de água, adubação correta ... são todos os detalhes que tornam a vida saudável ou não. Se algo não vai bem, a planta não dará flores.
Com nós humanos não seria diferente. Nós e todos os demais seres da Terra e do Cosmos, necessitam de cuidado e atenção.
E mais que o cuidado do corpo, está o cuidado da alma.
Até mesmo mais que o amor, está o cuidado e atenção. Apesar de que na minha humilde opinião, quando amamos de verdade, o cuidado é uma consequência desse amor, sendo algo automático e profundo.

Pessoas são como flores... para que floresçam belas e saudáveis, necessitam de carinho e cuidado.
Um cuidado diário, que vem do coração e não por obrigação.

Ao mesmo tempo, quando damos atenção à elas, temos o privilégio e gratidão por vê-las com belas flores...com seu perfume que nos revigora e seu toque aveludado que nos acaricia o rosto. É a beleza e essência da vida na sua forma mais sublime.

Parece tão bobo eu falar desta forma aqui, talvez piegas para alguns, mas como é bom sentir a Vida desta maneira!
Amar.
Cuidar!

O cuidado é um querer bem ao outro. É uma força que traz paz, tanto a quem proporciona como a quem recebe. Já imaginaram um mundo sem cuidado?
Um planeta sem cuidado?
Uma roseira sem cuidado murcha, adquire doenças e não vai bem.
Pessoas necessitam de cuidado. Cuidado este que deve estar em tudo...nas palavras, no toque, no olhar... na alma...


sábado, 20 de maio de 2017

Pela valorização da Vida e da Mente

Após o suicídio do cantor Chris Cornell nesta semana, senti que deveria falar a respeito deste assunto visto por muitos como fraqueza ou bobagem.

Vamos às loucuras da mente...onde as sinapses mais parecem grandes explosões de galáxias do que um simples mecanismo celular.

Alice era uma mulher feliz e amava sua vida, mas naquele dia ela não estava bem após uma briga conjugal.
Foi então dominada por pensamentos negativos e autodestrutivos, ela sentia-se profundamente sozinha e também as dores do mundo, o inferno era a sua mente naquele instante. Sentia-se culpada por sentir tudo aquilo de ruim, afinal, a vida para ela era o bem mais precioso.
Em um momento de impulso, como que em uma "explosão galáctica", resolveu ingerir alguns comprimidos de uma medicação na qual um dos efeitos colaterais é sonolência, naquela noite ela apenas teve um sono mais pesado e pesadelos. Alice voltou com sua vida ao normal, mesmo diante de dias tristes que ali se instalavam. Ela sabia que não havia ingerido aqueles comprimidos para chamar a atenção, mas ela não via outra forma de aliviar aquele sofrimento profundo que sentia.



Dias depois, após outra discussão, uma nova "explosão de galáxias" ocorreu novamente, mas desta vez a galáxia seria muito maior. Foi um de seus piores dias da vida.
Em um momento de profunda tristeza, de pensamentos negativos e baixas energias, ela não poderia suportar tamanha tristeza, ela só queria apagar por instantes e acordar feliz novamente, como um computador que você desliga ao travar, e ao ligar novamente tudo estaria bem.
Mas pessoas não são como computadores.
Naquele momento fora de si, ela ingeriu 5 comprimidos da mesma medicação usada anteriormente. Alice estava sozinha em sua casa.
Naquele momento, ela queria TUDO, menos morrer. Ela apenas queria desligar por momentos, como uma fuga daquele sentimento tão profundo e triste, sua dor era insuportável.

Pouco tempo após ter ingerido os remédios, em sua cama, podia sentir seu corpo anestesiado e pesado, sentiu que sua pressão estava caindo, mas nada mais ela poderia fazer, pois mal podia movimentar-se.
Ali ela continuou por mais algumas horas, e o efeito do remédio só parecia aumentar. Alice estava em um sono superficial, hora acordava, hora dormia, dentro de pequenas alucinações causadas pelo excesso da substância.
Após talvez umas 2 horas, Alice sentiu muita vontade de ir ao banheiro, sua bexiga estava apertada. Mas ela percebeu que não conseguia se mexer, não era possível levantar um músculo, sua respiração estava lenta, e seu corpo pesado, percebeu então que não conseguia nem ao menos mover-se para virar de lado, tinha vontade enorme de chorar mas nem as lágrimas saíam.
Adormeceu novamente naquela tristeza profunda e acordou tempo depois com uma vontade maior ainda de ir ao banheiro, sua bexiga doía muito.
Alice criou forças, e mesmo dentro daquele peso e zumbido nos ouvidos, levantou-se e foi até o banheiro apoiando-se nas paredes para não cair. Ao sentar-se no banheiro, ainda apoiada nas coisas ao seu redor, sentiu que seu coração acelerava e batia com todas as forças. Seus braços pareciam cair sozinhos sem forças e Alice foi dominada por um medo absurdo de morrer, pois pôde sentir a realidade da morte naquele instante e achou que fosse cair no chão naquele momento, mas respirou rapidamente e voltou para a cama (também apoiando-se) onde lá ficou imóvel até o dia seguinte.
Foi talvez a pior noite de sua vida, perdendo apenas para noites de falecimento de algum ente querido.
Alice sentiu-se aliviada por não ter tido sucesso na sua tentativa de desespero, talvez no fundo ela não tivesse a "coragem" necessária para tomar ainda mais comprimidos, mas ela não sabia o que poderia ocorrer com seu corpo ao tomar aquela dose alta.

Este era o sentimento de Alice, mas cada pessoa que tenta acabar com a própria vida sente algo diferente.
O suicídio vem de algum quadro depressivo e merece atenção para que se tenha um tratamento adequado para cada caso.
E agora me peguei pensando no que ocorreu com Alice...sem dúvida alguma ela teria se arrependido se acabasse morrendo em sua tentativa de "apagar" por instantes.
Uma pessoa está fora de si quando age para tirar sua própria vida e nos mostra que algo não vai bem. Provavelmente a grande maioria daqueles que cometeram suicídio com sucesso se arrependeriam instantes logo após o ato.

Este tema nos mostra que não podemos tratar o suicídio como fraqueza, afinal ninguém trata como fraco um diabético pela sua doença, no caso do suicídio é a mente que precisa de "ajustes".

A vida aqui é um presente infinito, devemos transformar as adversidades em um degrau para o amadurecimento e evolução pessoal.

Devemos rever valores de vida, da alma e da mente, para darmos o real valor que nossa vida tão PRECIOSA merece!


segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Meus dentes e um pesadelo...

Sei que este blog fala sobre a vida e seus questionamentos...mas já estão aqui alguns posts sobre sonhos...
Lembrando que um sonho é algo muito particular e pessoal, mas aqui no blog descrevo sempre sonhos marcantes, que me tocaram de alguma forma.
Então lá vai mais um...


Noite retrasada, na noite do dia 31/12 para 01/01, tive um pesadelo com meus dentes.
No sonho, alguns estavam bem moles e outros já haviam caído. Mas o que mais me marcou foi que uns 3 dentes molares inferiores estavam pretos, eu podia enxergá-los por dentro e estavam podres, também havia sangue ao redor e perto deles. 
Uma cena horrível. E pude sentir com realidade a sensação dos dentes moles quase caindo...desesperador. Parecia realidade.
Eu me olhava no espelho vendo e sentindo aquilo tudo, e no desespero acordei.

Na vida real e não no sonho, por coincidência, eu estava com uma afta na bochecha bem ao lado de onde estavam aqueles dentes piores no sonho...por isso talvez eu tenha sonhado com isso...sei la

Minha curiosidade me fez correr pelo google sobre estes sonhos...há várias teorias...
Mas de fato queria saber o que significou este sonho?

Alguém estuda sonhos aí?