"As piras de Angel..."

Dedico este blog ao Amor e às incógnitas da vida, responsáveis pelos mais belos insights. Caminhando rumo à evolução do corpo, da mente e da alma, eternamente...

"Espíritos fortalecidos de paz deixavam de chorar, neste tempo, grandes energias passeavam aos corações. Fomos lançados ao infinito..."

sexta-feira, 19 de junho de 2015

"Comunhão de pensamentos"

Me peguei pensando nisso ontem...

Não sou espírita. 
Aliás, diria que não tenho religião. Acredito em Cristo mas talvez não exatamente como da forma que dizem. Acredito em um pouco de tudo...e em um pouco de nada ao mesmo tempo.
Se eu tivesse que definir minha religião, eu diria que minha religião é o Amor. O amor à tudo e à todas as coisas. E diria ainda exatamente como Einstein: "A religião do futuro será cósmica, transcendendo um Deus pessoal, evitando os dogmas e a teologia."

Mas enfim...vamos ao ponto dos meus pensamentos de ontem.

Quando estudei o espiritismo há uns anos, me foi dito que existe a nossa família espiritual.
Que seria constituída de espíritos, encarnados aqui ou desencarnados em outros planos, e esses espíritos teriam afinidades entre si, uma afinidade espiritual.
E essa família não é necessariamente a sua família de sangue, mas de alma. E então sempre estaria unida, sempre. Mesmo após a morte do corpo e com o decorrer dos anos e do tempo.
Seria como uma ajuda mútua... de ajudar o outro a evoluir.



“...Os laços de sangue não estabelecem, necessariamente, os laços entre os Espíritos... Os verdadeiros laços de família não são, pois, os da consanguinidade, mas os da simpatia e da comunhão de pensamentos que unem os Espíritos antes, durante e após a sua encarnação...”
(O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XIV, item 8.)


Agora deixo aqui uma coisa que nunca disse aqui no blog.
Sempre me senti acompanhada por boas energias já há uns anos. Há muito tempo, talvez desde sempre, não sei dizer.
E sempre que estou em uma situação difícil, converso com "eles" por pensamento. Mas não é qualquer pensamento, não é fácil sintonizar e realmente sentir que meus pensamentos e sentimentos estão sendo captados de alguma forma. É preciso concentração e entrega. Mas quando sinto, realmente sinto!
E sinto que são vários.

E assim como sinto essa sintonia por algo que nunca vi e nem de fato sei, também sinto por certas pessoas aqui. Todo mundo têm uma empatia maior por certas pessoas e não por outras.

Seriam parte da família espiritual? 

Com todos esses pensamentos, tive que consultar um livro que comprei há uns anos... "O Livro dos Espíritos" de Allan Kardec, um livro de perguntas e respostas curtas. A pergunta número 302 diz:

"A afinidade necessária para a simpatia perfeita consiste apenas na semelhança dos pensamentos e sentimentos, ou também na uniformidade dos conhecimentos adquiridos?
R: Na igualdade dos graus de elevação."

Mesmo não sendo espírita, sinto que talvez seja assim...


De qualquer forma, é importante termos por perto sempre nossa família espiritual...seja por pensamentos ou proximidade física, pois ela nos traz amor, paz e elevação.

Nenhum comentário: